2

O quarto

quartinho
Uma emoção inusitada na gravidez são os preparativos para a chegada do bebê. Talvez para quem já teve filho, as coisas sejam mais default, mais dia-a-dia. Mas para quem está esperando o primeirinho, tudo é uma novidade.
Para começar, não sabemos muito bem o que realmente um bebê precisa. Antes, eu tinha uma vaga idéia que bebês faziam muito cocô e precisavam de caminhões de fralda e alguns macacõezinhos.
Depois da gravidez, fui bombardeada com expressões tão curiosas quanto seus usos: toalha-fralda, pano de boca, porta bebê e por aí vai.
Pesquisando em sites (afinal sou uma mamãe dos anos 2013, benhê) percebi que muita coisa não é fundamental e que o povo simplesmente explora as mães de primeira viagem com itens que não serão usados mas que são muito bem cobrados. Por exemplo, na feira da Gestante e Bebê, eu vi absurdos como: chupetas com cristais Svarovski (150 dilmas) e banheira de ofurô e de hidromassagem para recém nascidos (900 dilmas e 500 dilmas respectivamente).
Estou comprando o que pesquisei ser útil e o que o dinheiro dá, naturalmente.
Vamos agora à foto acima, ali no alto do post: o bercinho.
Meus móveis chegaram: berço, cômoda e cama babá. E nós já colocamos o Kit berço que ganhamos de presente.
Dá uma sensação muito estranha entrar no quartinho e ver que as coisinhas estão ganhando forma de verdade. Mais estranha ainda pensar que Carolina vai estar ali dentro daqui a 3 meses e meio.
Mas é um estranho bom. Como aquela expectativa que a gente fica quando está para viajar, sabe?
E quem disse que virar pais não é a viagem mais psicodélica dessa vida?
Bon Voyage para nós!

0

A barriga

Engraçado como barriga de grávida é uma coisa pública. Geralmente, as pessoas tem um certo pudor de sair encostando ou acariciando qualquer parte do corpo de alguém. No máximo, você encontra um amigo e ele apóia a mão no seu ombro ou te dá um beijinho no rosto. Se ele é amigo de fé, irmão camarada, ele te abraça.

Na gravidez, esse pudor desaparece e sua barriga vira um imã que atrai todas as mãos num raio de 5Km. Você está parada numa fila, uma senhorinha do seu lado vira e diz: “De quanto tempo, minha filha?” Mas isso já passando a mão na maior extensão possível do barrigão, como se você tivesse virado um buda ambulante.

Taí. Um buda. É assim que me sinto. E o pior é que, quando a barriga era a parte do corpo que você costumava ter mais implicância em si mesmo, é realmente estranho que de repente ela passe a ser o centro das atenções em todos os ambientes que você frequenta.

Entendam-me, não estou reclamando. É legal saber que as pessoas se interessam, querem saber sobre e talz, mas que é uma profunda mudança de paradigma na cabeça de uma gordinha em dieta eterna, ah…isso é

.Barriga

0

A dieta

Engravidar é saber que você vai engordar. Mas não saber o quanto. Isso já é assustador para a maioria das mulheres. Agora imagine uma mulher que tem uma PUTA facilidade para engordar, está bem acima do peso e, para fechar com chave de ouro, passou a vida fazendo dieta e em luta livre com a balança.

Pois é, de pirar o cabeção.

Estou no 6˚ mês e já engordei 6Kg. Isso seria fenomenal para uma mulher com IMC normal, mas levando em consideração que eu já estava gorda e que meu endocrino não queria que eu engordasse NADA, isso está uma merda, né?

Pois então levei um esporro do obstetra que me mandou parar de comer  tudo que é gostoso farinha branca, açúcar, gordura, fritura etc etc etc e viver só de luz .

Boa sorte pra mim!

1

A mamada

Alguns dias atrás, fomos visitar um casal de amigos queridos com um bebê de 20 dias. Eles estavam comentando conosco como o bebê estava naquela rotina básica de recém-nascido, de acorda, mama, dorme 1h,acorda, mama, dorme e começa tudo de novo.

Meu marido saiu pensativo:

“_ Poxa, amor, eu não posso dar de mamar. Mas eu posso te dar apoio, te fazer massagem…

_ Pode trocar a fralda também.

_ Que pena que eu não posso dar de mamar!”